Pular para o conteúdo principal

Tratamentos Espirituais Médium da Casa

Palestra nº19

O Casamento – A Poligamia – A Família – Separações - Amor Maternal e Paternal – Íncubos e Súcubos

PRIMEIRA PARTE
1 - A Doutrina Consoladora

A Humanidade precisa dos princípios doutrinários que falam ao coração, amenizam as suas dores, trazendo-lhe conforto nos dias de abatimento, o consolo e a esperança nas horas de aflição e desespero.

As almas que encarnam na terra são, salvo raríssimas exceções, sofredoras, carentes, portanto, de afeto e piedade para que possam sair daqui melhores do que eram quando aqui chegaram.

Ora, é precisamente no Espiritismo, em sua modalidade religiosa, que os sofredores vão encontrar refúgio e consolação. Só o Espiritismo explica às almas, neste mundo de expiação, o motivo porque sofrem, abrindo-lhes, ao mesmo tempo, sem enganos, as portas da redenção.

Só o Espiritismo, levanta o ânimo dos enfraquecidos e dos vencidos, acendendo em seus corações a estrela da esperança, mostrando-lhes, ao mesmo tempo, que está em suas mãos lutar e vencer, conquistando a mesma posição que usufruem os bons e os justos, os fortes e os varonis.

A idéia de uma justiça perfeita, distribuindo a cada um segundo os seus méritos – Justiça com misericórdia, que mantém sempre acessível o caminho da reabilitação, pondo ao alcance de todos os culpados os meios e as possibilidades de resgatarem um passado de erros, na conquista de um futuro de paz e de felicidade. Ref. (01)


2 - O Casamento Civil e Religioso e as Leis da Natureza e do Progresso Moral

O casamento, isto é, a união entre dois seres não é contrário à lei da Natureza. É um progresso na marcha da Humanidade. Perg. 695

A abolição do casamento na sociedade humana seria uma regressão à vida dos animais. Ref. Perg. 696 - (01)


3 - A Poligamia é Sensualidade e não Casamento

A igualdade numérica, que mais ou menos existe entre os sexos, constitui indício da proporção (homem e mulher) em que devam unir-se, pois tudo na Natureza, tem um fim. Perg. 700

A monogamia, em relação à poligamia, é mais conforme a lei da Natureza.

A poligamia é lei humana cuja abolição marca um progresso social. O casamento, segundo as vistas de Deus, tem que se fundar na afeição dos seres que se unem. Na poligamia não há afeição real: há apenas sensualidade. Ref. Perg. 701 - (01)


4 - Decepções, Ingratidão, Afeições Destruídas

Para o homem de bom coração, as decepções oriundas da ingratidão e da fragilidade dos laços da amizade são fontes de amarguras.

No entanto os ingratos e os infiéis serão muito infelizes. A ingratidão é filha do egoísmo e o homem egoísta topará mais tarde com corações insensíveis.

O próprio Jesus foi, quando no mundo, injuriado e menosprezado, tratado de velhaco e impostor, e o homem de bom coração não deve se surpreender se o mesmo acontecer com ele.

Por isso os Espíritos recomendam que se faça o bem aqui na Terra, a quem quer que seja, e não se preocupar no que dizem os que receberam os benefícios. A ingratidão é uma prova para a perseverança na prática do bem; será levada em conta e aqueles que forem ingratos serão tanto mais punidos, quanto maior lhes tenha sido a ingratidão. Perg. 937

Os homens de bom coração devem ser fortes, para que decepções oriundas da ingratidão não endureça o seu coração, fechando-o às coisas sensíveis.

O homem de coração, se sente sempre feliz pelo bem que faz. Sabe que, se esse bem for esquecido nesta vida, será lembrado em outra e que o ingrato se envergonhará e terá remorsos da sua ingratidão. Ref. Perg. 938 (01)


5 - Casamentos, Amizades, Afeições e Namoros destruídos por Espíritos de ex-companheiros (Maridos, Esposas, Amantes e Namorados)

A verdadeira afeição nada tem de carnal.

Quando um Espírito (alma desencarnada) se apega a uma pessoa, nem sempre o faz só por afeição. À estima que essa pessoa lhe inspira, pode ter uma vestígios das paixões humanas Perg. 485 Ref. (01)

Íncubos e Súcubos (ex-companheiros)

A presença espiritual indevida e desastrosa de ex-maridos, esposas e namorados , na vida atual de ex-companheiros, causando brigas, desajustes e destruição de lares, casamentos e amizades, com uma demonstração clara de paixão e ciúme, é ignorância espiritual.

Nas centenas de reencarnações tivemos muitos companheiros, mas pouco ou quase nada restou na lembrança e memória quando encarnados e por falta de elos profundos e reais.

Não é justo e não é da lei do livre-arbítrio e do Carma, que alguém se arvore no direito da posse sobre outra pessoa. Ninguém é de ninguém.

Segundo a Lei, quando há casamento e namoro da alma com alma, o amor é puro, não é ciumento e não conhece a paixão, tão pouco a posse. Cada um segue o seu destino – bem ou mal – e sempre prevalecerá a amizade real e o amor puro. Dessa forma, haverá sempre reencontros agradáveis.

Cabe às vítimas de transtornos na vida amorosa fazer um esforço redobrado no Astral, enquanto o corpo dorme, para encontrar e procurar desatar os laços anteriores. Muitas vezes, as chamadas vítimas concordam e estimulam os velhos parceiros.

As falanges espirituais da Fraternidade da Cruz e do Triângulo e da Ramatis estão atentas, ajudando no afastamento expontâneo dos referidos ex-companheiros e convencendo-os ao afastamento voluntário . Ref. (02)


6 - O Celibato : Contrário à Lei Natural e Espiritual

O celibato (abstinência sexual, não fazer sexo) voluntário não representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo. Perg. 698

Da parte de certas pessoas, o celibato será um sacrifício que fazem com o fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito. Ref. Perg. 699 (01)

Obs.: O noticiário da Mídia, relata grandes escândalos, entre certos religiosos, pois as causas são naturais e como a natureza exige. Casos há que Espíritos sensualistas, atendem aos chamamentos e os pensamentos de sexo, entre religiosos e pessoas celibatárias. (...) APSA - Ref. (02)

REFERÊNCIAS:
  1. O LIVRO DOS ESPÍRITOS - ALLAN KARDEC
  2. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. - Rio

SEGUNDA PARTE
7 - A Indissolubilidade é Lei Humana e das Religiões Primárias

A indissolubilidade do casamento é uma lei humana contrária à Lei da Natureza. Mas os homens podem modificar suas leis; só as leis da Natureza são imutáveis. Perg. 697

Obs.: Quando os casamentos são de alma com alma, as relações são firmes e sem adultérios (APSA). Ref. (02)


8 - Aborto é Crime Espiritual contra quem não se pode defender, e fonte de obsessões dos frustrados de renascer.

O aborto produz sérias consequências para o Espírito. É uma existência anulada e que ele terá de recomeçar. Perg. 357

Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação. Há crime sempre que o homem transgride a lei de Deus.

Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, pois isso impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando. Ref. (01)


9 - A Paternidade e a Maternidade - O Dever dos Pais

A paternidade (mãe e pai) é , sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo enorme dever e que envolve, mais do que o pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro dele e do seu filho.

Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que os pais orientem os filhos pela senda do bem. Facilitou esta tarefa dando à criança uma organização fraca e delicada, facilita o processo de educação e formação proporcionado pelos pais. Deve-se os pais, então, ter muita preocupação com a formação do caráter de seu filho.

Se o filho vier a sucumbir por culpa dos pais, estes suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem. Perg. 582

No entanto, os pais não são responsáveis pelo transviamento de um filho que envereda pelo caminho do mal, apesar dos cuidados que lhe dispensaram. Porém, quanto piores forem as propensões do filho, tanto mais pesada é a tarefa e tanto maior o mérito dos pais, se conseguirem desviá-lo do mau caminho. Ref. Perg. 583 (01)


10 - Afeições do Corpo e do Espírito – Antipatia e Ódio

Os Espíritos simpáticos são induzidos a unirem-se. Porém, na maioria das vezes só de um lado há afeição e que o mais sincero amor se vê acolhido com indiferença e, até, com repulsão.

Isto ocorre porque não basta uma pessoa estar enamorada de outra que lhe agrada e em quem supõe belas qualidades. Vivendo realmente com ela é que poderá apreciá-la.

Tanto assim que, em muitas uniões, que a princípio parecem destinadas ao fracasso, depois das pessoas se estudarem e se conhecerem bem, acabam por votar-se, reciprocamente, duradouro e terno amor, porque se apoia na estima. Pode ocorrer o contrário, havendo as separações das pessoas, pois não era aquilo que elas procuravam.

Cumpre não se esqueça de que é o Espírito quem ama e não o corpo, de sorte que, dissipada a ilusão material, o Espírito vê a realidade.

Duas Espécies há de afeição: a do corpo e a da alma, acontecendo com freqüência confundir a afeição do corpo com a da alma. - Quando pura e simpática a afeição da alma é duradoura; - efêmera, a do corpo. Daí vem que, muitas vezes, os que julgavam amar-se com eterno amor passaram a odiar-se, desde que a ilusão se desfaça. Ref. Perg. 939 - (01)


11 - O Verdadeiro Casamento e Casamento do Corpo e da Alma

O casamento é antes de tudo uma união de almas. Casar quer dizer adaptar-se ou ajustar-se. Portanto, só se casaram realmente aqueles cujas almas conseguiram adaptar-se profunda e intimamente.

A assinatura de um contrato, o morar numa mesma casa, o dormir numa mesma cama, os contatos materiais do sexo, ou mesmo ter filhos comuns não significa que haja verdadeiramente casamentos.

Casar é ter os mesmos ideais, as mesmas preocupações, a mesma formação d’alma, a mesma educação, os mesmos sentimentos e as mesmas aspirações.

Antes de caminharmos para o matrimônio meditemos e estudemos bem para podermos fazer do vínculo conjugal um verdadeiro casamento.

Os que já se acham envolvidos pela faixa do casamento devem desenvolver consciente e inteligentemente o máximo de pontos comuns para estruturar a sua união.

Vale a pena buscar, mesmo com grandes esforços e sacrifícios, essa identificação de almas porque o casamento é fonte de suprema ventura. Não são muitos os que se casam verdadeiramente, mas existem. APSA - Ref. (02)

CASAMENTO DO CORPO E DA ALMA

Belmiro Braga

À notícia bato palmas
e um conselho mando aos dois:
– casem-se primeiro as almas,
que os corpos casem depois;

pois tenho os olhos cansados
de ver umas mil, talvez:
dentro de corpos casados
almas em plena viuvez.

REFERÊNCIAS:
  1. O LIVRO DOS ESPÍRITOS - ALLAN KARDEC
  2. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. - Rio
  1. A Lei do Progresso - Evolução – Natureza – Origem e Destino dos Espíritos – Diferenças Sociais e de Aptidões
  2. Reencarnação – Ressurreição – Clonagem – Divórcio – Aborto – A Família Universal
  3. A Lei do Carma – Causa e Efeito – Justiça divina
  4. O Evangelho – A Lei Moral – O Livre Arbítrio
  5. A Missão do Espiritismo
  6. Obsessão – Possessão – Encosto – Vampirismo – Íncubos e Súcubos (1)
  7. Perturbações Espirituais – Psicoses – Neuroses e Curas
  8. Mediunidade – Mediunismo – Desenvolvimento – Animismo – Guias Espirituais – Anjos da Guarda
  9. Magia Branca – Magia negra – Bruxaria – Forças Ocultas
  10. Os Tempos são Chegados – Juízo Final – Seleção e Emigração de espíritos – 3º Milênio – Apocalipse – Verticalização do Eixo da Terra
  11. A Religião Universal e as religiões Humanas
  12. A Importância da dor na Evolução Espiritual – A Medicina – As religiões – Psiquiatria – Cura Definitiva
  13. O Corpo Astral e o Físico – Lesões Passadas – Aborto – Suicídio – Traumas e Fobias
  14. Álcool – Fumo – Carne – Tóxicos – Naturalismo – Vegetarianismo
  15. Idade Mental do Espírito – A Inteligência – Pecado – Virtude – A Moral
  16. Desigualdade de Riquezas – Aptidão Social – A Verdadeira propriedade
  17. Os Pobres de Espírito – Cultura Material e Espiritual – Sectarismo – Orgulho – Vaidade
  18. A Morte – Recepção e Surpresas – Amigos e Parentes – Eutanásia – Cremação – A Vida e os Trabalhos no Além-túmulo
  19. O Casamento – A Poligamia – A Família – Separações – Amor Maternal e Paternal – Íncubos e Súcubos (2)
  20. Nascimento – Infância - Juventude – Velhice – Família – O Sentido Educativo das Reencarnações – Dever dos Pais
  21. A Fé – A Prece – Cultos – Exterioridades – Verdades Divinas – Caminhos Religiosos – Fantasias Místicas e Religiosas
  22. Deus – Cristo – Arcanjos – Santos – Profetas – Jesus de Nazaré – Médium do Cristo na Terra
  23. Fantasias Místicas e Religiosas – Sincretismo e Ecletismo
  24. Conhece-te a ti mesmo – Iniciação Superior – “Fernão Capelo Gaivota” – Alvo Supremo