FORÇAS OCULTAS – MAGIA NEGRA – MAGIA BRANCA

FORÇAS OCULTAS – MAGIA NEGRA – MAGIA BRANCA


OBJETIVO

Esclarecer que Magia é o controle e a manipulação de vibrações e energias da Natureza, a qual não derroga as Leis Divinas, nem constitui poder sobrenatural. É inconscientemente praticada por todos os espíritos encarnados e desencarnados, pois é uma ação mental que propaga-se nos diversos planos vibratórios e pode interferir no Plano Físico. Desconstruir o medo e conscientizar a importância de nossas intenções, essência de nosso pensamento, o qual constitui a base de ação da Magia.

RESUMO DO CONTEÚDO ABORDADO

Segundo o primeiro Princípio Hermético, “O TODO é MENTE; o Universo é Mental”. Isto implica que tudo é uma construção mental que se origina de uma intenção divina, incognoscível, infinita e universal, que é Deus.

O Espírito do homem, feito à imagem e semelhança de Deus, também possui este atributo em escala inferior e manifesta sua intenção através do pensamento. Com isso irradia vibrações boas e más, nos momentos de paz e de desarmonia. Estas vibrações afetam os ambientes formando as “egrégoras”, as quais influenciam os pensamentos e os sentimentos de outras pessoas que entram em sintonia.

O pensamento é uma vibração da mente, análoga à da luz. O homem, ao pensar, imprime impulsos vibratórios no seu corpo mental, resultando, simultaneamente, a produção de “ondas” e de “formas pensamento”. Conforme a lei de repercussão vibratória, a vibração do corpo mental então se propaga assim como a vibração da campainha se dissemina pelo ar atmosférico.

A exteriorização dessa vontade pode se dar através da palavra (magia verbal) ou da mente (magia mental), mas o pensamento é sempre o elemento fundamental dessa prática, pois não existem palavras sem pensamentos e sem ideias. Quando o homem fala, ele mobiliza energia mental sobre o sistema nervoso, para então acionar o aparelho de fonação e expressar em palavras as ideias germinadas na mente.

O feitiço mental, quase sempre, é fruto do ciúme, do amor-próprio ferido, da frustração, da vingança e da humilhação, e germina e cresce no silêncio enfermiço da alma e sob a consciência desperta do seu autor. O feitiço mental pode ser mais grave do que o feitiço verbal, porque fecunda-se na covardia silenciosa e ignorada do mundo profano. Quem amaldiçoa ou roga pragas, assume em público a responsabilidade de sua desforra, mas o que enfeitiça pela mente, resguarda-se no anonimato hipócrita e ainda continua a gozar de bom conceito público.

Existem também os casos de trabalhos de magia executados sob orientação de um mago. A palavra Mago vem do sânscrito “mag” ou “maha” (grande) e do latim “magìster”, significando aquele que conduz e ensina, ou seja quem tinha ciência e sabedoria. Em decorrência das imperfeições humanas, muitos iniciados não evoluídos moralmente passaram a utilizar o conhecimento e a manipular energias com interesses egoístas para a vingança e luta pelo poder, modificando o significado de magia, que absorveu o sentido do grego “mageia” que é a manipulação de energias com propósitos inferiores.

No passado a palavra “feitiço” expressava somente a operação de encantamento no sentido benéfico de concentrar energias em objetos e seres humanos, através da confecção de amuletos e talismãs cuja finalidade era proteger o indivíduo. Todavia o feitiço passou a ser uma operação de “magia negra” destinada a prejudicar alguém, impregnando objetos, que depois irradiam energias deletérias em direção às pessoas visadas pelos magos. Elementos da natureza como minerais, vegetais e animais podem ser utilizados como meios para potencializar, conduzir e irradiar as vibrações, tanto boas como más.

O trabalho mais importante dos magos consiste em movimentar energias num sentido agressivo e destruidor, conforme acontece com as próprias energias da natureza descobertas pelos homens. Este tipo de magia tanto pode provocar doenças psíquicas como criar um campo vibratório inferior em torno do enfeitiçado, o qual dificulta a receptividade intuitiva de instruções e recursos socorristas transmitidos pelos guias espirituais.

Impaciência, ira, inveja, intolerância, maledicência, ciúme, despeito, orgulho, ódio e egoísmo, geram substâncias mentais perniciosas, e levam as pessoas a vivenciarem “momentos de animalidade”, quando predominam, em sua mente, as energias inferiores, que causam um abaixamento vibratório da defesa e tornam-se uma fonte de atração para vibrações similares, com base na lei de que “os semelhantes atraem os semelhantes”. Mas, nos “momentos angélicos”, o homem vive emoções e sentimentos superiores como o amor, altruísmo, bondade, tolerância, humildade, alegria e confiança, confeccionando forte couraça de substância mental protetora que rechaça os impactos malévolos da magia inferior.

A segurança e defesa dependem principalmente de uma maior ou menor integração ao Evangelho do Cristo, evidenciada pela vivência dos ensinamentos evangélicos. É isso que realmente desintegra toda e qualquer carga maléfica projetada sobre a pessoa.

Preces e estados mentais positivos são “Magia Branca”, pois proporcionam vibrações de paz e de saúde. Todo o trabalho da SER é baseado na Magia Branca. A SER oferece o Tratamento de Antigoécia (antimagia negra), no qual energias prejudiciais e vibrações inferiores são dispersadas, reestabelecendo os estados de harmonia e paz no paciente e em seu lar.

Muita Paz!

Referências bibliográficas:

  1. Magia de Redenção – Ramatis

#Hercílio #Ramatis #MagiaNegra #MagiaBranca #Antigoécia #ForçasOcultas

1,243 visualizações

Sob a Égide de Jesus, Kardec e Ramatis

www.ramatis.com.br

Sede: Rua José Higino, nº 176 - Tijuca Rio de Janeiro - RJ

CEP.: 20510-420 CNPJ 33.991.423/0001-70

 Aviso Legal | Política de PrivacidadeInspirado por MCF.'.